Primeiro dia de Primavera

24 de setembro de 2017

Saudações faéricas!

No último sábado, fui explorar em um lugar que eu amo. Lá é deserto nos finais de semana e tem bastante natureza, e eu amo lugares assim! Sem contar que tem alguns gatos e cães que moram lá e são cuidados pelas pessoas que trabalham neste local. Eu aproveito e tento fazer amizade com todos! Mas é mais difícil se aproximar de alguns gatos, pois muitos são bem ariscos…
Assim que cheguei, havia uma cachorrinha descansando na calçada e quando ela me viu começou a balançar o rabo. Essa algazarra toda começou antes mesmo de eu ter me dirigido a ela (parece que o jogo virou haha). O meu marido estava comigo e deu o nome de Happy a ela. O mais irônico é que nenhum outro bichinho era “happy” com ela por perto, pois a cachorrinha nos monopolizou e não deixou mais ninguém se aproximar de nós (com exceção de um gatinho).
Esse gatinho também era outra fofurinha! Ficou todo feliz com a nossa presença e começou a nos seguir, mas conseguimos despistá-lo porque no momento, não podemos pegar ninguém para criar. Eu chamei este gato de Miudinho.
Consegui fotografar muitas plantas, alguns insetos e um bem-te-vi. Nesta exploração acabei dando muito atenção a Happy e ela saiu em quase todas as fotos haha. Uma coisa engraçada que aconteceu foi quando quis fotografar uma flor amarelinha, a única que havia em um campo de flores lilás bem claros, e Happy me seguiu e deitou em cima da flor!










Obrigada pela visita ♡

Carta da Nina e uma História

18 de setembro de 2017

Saudações faéricas!

Neste último final de semana eu recebi a carta da minha amiga e irmã-girassol, a Nina. Ela é uma pessoa muito adorável, sensível e sábia. E isso se reflete em suas cartinhas e no seu modo de ver o mundo. Ela escreveu para mim uma história tão fofa sobre uma fada e seu amigo pirilampo que aqueceu o meu coração por ser muito linda e simples. Além de ter me enviado incensos, adesivos, chás e uma pulseira com minhas cores favoritas! Ela me permitiu deixar a história aqui e acho que vocês também irão gostar muito!




Em um lugar não muito distante, entre pinheiros e árvores frutíferas, vivia uma moça. Certo, não sei bem se era uma moça… Ela era muito confundida com uma fada, pois estava sempre misturada àquele povo de asas translúcidas, pronta para ajudar.

Todos a conheciam como Mi-lavandel, a guardiã da natureza. Vivia em uma casa pequenina, que cheirava a alfazema, biscoitos quentes e mel.

Seus dias eram preenchidos pela companhia dos seres da floresta.

Brilhos e Pirilampos

Era uma noite de céu limpo e Mi-lavandel, sentada em sua mesa, costurava gorros quentinhos para os ursos que viviam do outro lado da colina. Por um minuto, olhou através da janela e pode enxergar um pontinho em movimento. Era seu amigo vaga-lume, uma criança muito curiosa e esperta.
– Pequeno Vaga-Lume, o que faz aqui?, questionou a moça.
– Vim observar as estrelas. Elas são tão bonitas e luminosas! Eu gostaria de ser como elas…
Mi-lavandel, um tanto confusa, continuou com as perguntas:
– Por que você gostaria de ser uma estrela, meu amigo?
O pirilampo, com pensamentos carregados de sonhos, respondeu:
– Para flutuar no céu, guiar as pessoas com o meu brilho. Elas são tão bonitas e eu sou tão pequeno e feio…

Conforme a criança ia contando suas angústias, Mi-lavandel se emocionava. Porém a guardiã da floresta é muito sábia e logo teve uma ideia. Em uma das gavetas da cômoda, entre fitas e botões, ela tirou um espelho com bordas douradas e, delicadamente, pediu para o nosso amigo se olhar nele.
– Esse é você!, disse Mi-lavandel, sorridente.
– E… e… Eu estou brilhando! O que é isso? Estou piscando! Sou uma estrela!
– Oh, querido Vaga-Lume… As estrelas são uma grande inspiração, de fato. Mas às vezes precisamos parar de nos preocupar demais com o brilho de outras criaturas e olhar para o nosso. Há luz dentro de nós!

Aquilo tudo era novo para o pirilampo, mas ele pôde compreender. Retirou-se alegre e brilhante da janela cheia de lavandas. E srta. Lavandel, preenchida de luz, voltou a costurar.

Nina, 2017.

Obrigada pela visita ♡

Sobre encontrar a felicidade em contratempos

10 de setembro de 2017

Saudações faéricas!

Na manhã deste domingo fui viajar com a família a um sítio. Mas não conseguimos chegar no destino, pois a estrada de barro estava muuito molhada e o carro até atolou. Apesar deste contratempo, eu fiquei bem feliz pois consegui fotografar um pouco da natureza que havia ao lado da estrada.
Muitas flores silvestres, pássaros, borboletas, abelhas e outros insetos se faziam presentes. O local havia um campo repleto de Mimosa pudica e foi lá que consegui filmar uma abelhinha. O meu dia não foi como imaginei que seria… Porém eu gosto de procurar beleza nos momentos que talvez possam me aborrecer e por isso o meu dia foi até mais incrível de como a minha imaginação criou!












 

Obrigada pela visita ♡

Aventuras de Luli, O Rato

30 de agosto de 2017

Saudações faéricas!

Na tarde de ontem fiquei aquarelando enquanto ouvia músicas dos filmes Ghibli (amo fazer isso). Acabei fazendo uma história curtinha e ilustrada sobre um rato que vive aventuras durante o dia, mas ama voltar para casa porque para ele não há lugar mais aconchegante que sua própria toca.



Luli ama comer amoras no café da manhã


Em dias ensolarados passeia pelos campos de flores


Brinca com seu amigo Esquilo


No fim do dia volta para sua toca, que para Luli é ainda o melhor lugar do mundo.

Obrigada pela visita ♡

A Vida nos Bosques

18 de agosto de 2017

Saudações faéricas!

Existe um livro que eu me identifico quase que completamente, este livro se chama Walden, Ou A Vida nos Bosques, de Henry David Thoreau. É uma autobiografia do autor durante os anos que ele viveu ao lado do lago Walden, em Concord – Massachusetts.

O sr. Thoreau decidiu abandonar a cidade grande para viver em um bosque. Ele construiu sua casinha com madeiras do próprio local, plantou feijões e outras plantinhas para consumo, e viveu por lá durante várias estações. O autor no primeiro capítulo nos conta seus motivos de ter preferido viver de forma não “civilizada” perante a sociedade do século XIX. Naquela época as pessoas que viam a vida de forma diferente eram duramente criticadas e perseguidas. Thoreau foi bastante criticado, principalmente após publicar este livro. Porém ele foi uma pessoa autêntica e viveu da forma como quis sem se importar com os olhares tortos da sociedade.

Ele não faz apenas críticas a sociedade daquela época. Ele também escreve sobre a simplicidade, a natureza, alimentação e outros assuntos. Meus assuntos preferidos é quando ele descreve a fauna e a flora local… Os bichinhos que ele observava e até um passarinho que pousou em seu ombro!

E por que eu me identifico tanto com este livro? Porque assim como o autor, sinto imensa necessidade de estar com a natureza. Mas por enquanto eu ainda não reuni força de vontade suficiente para deixar a urbanização. Apesar dessa minha conformidade, eu procuro sempre visitar matas e jardins, explorar qualquer pedacinho de terra que tenha árvores, flores, insetos, pássaros… Identifico-me também com a forma de ver a simplicidade e de como eu me detesto quando percebo as minhas futilidades, mas estou sempre buscando valorizar o que é essencial.

 

Logo me descobri vizinho dos pássaros; não por prender algum deles, mas por ter me engaiolado perto deles.”

 

Obrigada pela visita ♡

Caçadora de sutilezas

15 de agosto de 2017

Saudações faéricas!

Uma criaturinha pequena e imperceptível gosta de vagar pelos jardins e florestas a procura de belezas ocultas que lhe encantem. Fragmentos esquecidos em um cantinho do universo. Sons quase silenciados pelo barulho da vida humana civilizada.


Em uma destas caminhadas havia uma flor brotando de tijolos e dando cor para aquele pálido lugar.


Uma borboleta da cor do outono se fazia presente onde outrora fora verde. Mas não perdeu a esperança de polinizar mais um cantinho de terra desnuda.


Um aviso de que a vida esteve presente nesta vastidão. Lebrando-nos de que as criaturas desimportantes possuem tarefas importantes.


E haverá sempre um pouco de cor para quem souber em qual direção olhar.


É que da bem-aventurança e da alegria na vida há pouco a ser dito enquanto duram; assim como as obras belas e maravilhosas, enquanto perduram para que os olhos as contemplem, são registros de si mesmas; e somente quando correm perigo ou são destruídas é que se transformam em poesia.” – O Silmarillion, J.R.R. Tolkien

Obrigada pela visita ♡

Adivinha quanto eu te amo?

2 de agosto de 2017

Saudações faéricas!

Eu sou muito apaixonada pelas ilustrações da Anita Jeram! Um dos livros infantis mais fofos que já li foi ilustrado por ela. Ela desenhou e aquarelou muitas lebres e coelhos. “Guess How Much I Love You” ou em português “Adivinha Quanto Eu Te Amo” é um livro que todas as crianças deveriam ler e poder possuir, e seria ainda mais mágico se os pais lessem para elas.

Quando eu penso na simplicidade, eu percebo que ela esconde grandes tesouros. É um livro singelo, mas isso não é nenhum defeito. Ele conta a história de duas lebres: Big Nutbrown Hare e Little Nutbrown Hare. Não sabemos se os personagens trata-se de um pai e filho, ou mãe e filho, ou dois irmãos… O mais tocante é o amor que há entre eles e que uma família é feita de amor, independente de como sejam seus integrantes. Vocês conseguem adivinhar o quanto as lebres se amam?





Obrigada pela visita ♡

Brambly Hedge

30 de julho de 2017

Saudações faériecas!

Estou com saudade de ver a luz do Sol, de sentir calor… Aguardo ansiosamente pelo Equinócio de Primavera! Enquanto 22 de setembro não chega, leio um pouco sobre uma história da primavera e aprecio as ilustrações de uma das ilustradoras que mais amo, a Jill Barklem!

Jill Barklem escreveu e ilustrou a vida de ratinhos ingleses em uma coleção de histórias (Spring, Summer, Autumn, Winter, The Secret Staircase, The High Hills, Sea Story e Poppy’s Babies). A família de ratinhos vive em uma cerca perto de um riacho e eles passam por tantas aventuras acolhedoras e tudo é tão encantador por se passar em cada estação. Suas ilustrações são de aquarela e ricas em detalhes! Queria ser pequena o suficiente para viver nos tocos de árvores feitos pela Senhora Barklem.







Obrigada pela visita ♡

Carta da Mel

24 de junho de 2017

Saudações faéricas!

Nesta semana eu recebi a carta da Mel. Uma carta toda fofa, como tudo que ela faz hihi. A Mel adicionou muitas ilustrações de corujas, inclusive uma que vinha com minha espécie favorita de mariposa (Actias luna) pois estes bichinhos faz ela se lembrar de mim. Adorei saber que sou associada a um dos meus animais favoritos! Também adorei ter conhecido novos ilustradores: Katie Daisy e Jim Kay.



Eu amei estes detalhes ♡



Obrigada pela visita ♡

Pássaro Robin ♡

14 de junho de 2017

Saudações faéricas!

Eu sou completamente apaixonada por pássaros robins e eu estou sempre fazendo alguma representação deste pássaro tão encantador! Amo a paleta de cores desta espécie e minhas ilustradoras preferidas também já fizeram representações dele em suas obras. Há uns dias atrás fiz meu segundo bordado de robin e eu acredito que esse foi o mais bonitinho que consegui fazer até o momento. Espero que gostem.

Obrigada pela visita ♡