Saudações faéricas!

Existe uma tirinha de Liniers (amo) que diz que às vez tu pega um livro e outras vezes é o livro que te pega. Foi isto que aconteceu comigo quando li a biografia de Leonardo da Vinci, do Walter Isaacson. Senti-me pega e totalmente envolvida com a história do Leonardo.

Leonardo foi alguém extremamente interessante, tinha os seus defeitos, mas suas qualidades sobressaiam. A sua maior característica era a curiosidade. Ele costumava fazer listas de tarefas a se fazer: como descrever o voo dos pássaros e a língua do pica-pau. Bastante excêntrico. Sua curiosidade insaciável o levava a fazer investigações até compreender um fenômeno da natureza, mesmo sem saber metodologia científica. Este seu comportamento lhe fez descobrir muitas coisas, entretanto não é reconhecido como o descobridor delas pois não publicava seus trabalhos.

Tudo que ele investigava era para seu próprio deleite, para alimentar a sua vida interior (me atrevo a dizer). Ele não compreendia que o conhecimento é um processo cumulativo e colaborativo. Sempre estava muito concentrado em seu trabalho, tão concentrado que não se incomodava nenhum pouco com o cheiro forte de um corpo em decomposição. O que ele queria mesmo era fazer seus estudos anatômicos.

Foi ao estudar o corpo humano que ele descobriu como a válvula aórtica funcionava. Tamanhos feitos grandiosos e tão detalhados não significa que Leonardo não errava, pois ele também fracassava em seus estudos e se equivocava muito. Um destes equívocos foi sobre as válvulas cardíacas. Não percebeu as falhas na teoria de Galeano, pois estava cego com o conhecimento que adquiriu dos livros. Quando li esta parte no livro, lembrei-me de um texto de Schopenhauer falando sobre o perigo da leitura excessiva: “Quando lemos, outra pessoa pensa por nós: repetimos apenas o seu processo mental”. Então eu lembrei de algo que Bertrand Russell escreveu: “Além da aquisição de informação, também se exige uma certa medida de intensa reflexão sobre as diversas matérias.”

Leonardo vivia em dois mundos: o da fantasia e o da realidade. E por viver em dois mundos, que para alguns pode significar que são distintos, ele descobriu como os pássaros conseguiam voar. Seu intuito era de “demonstrar a possibilidade de ele conseguir sustentar a si próprio no ar batendo asas”, anotou. Ele tinha muito interesse por máquinas voadoras, alguns de seus desenhos são bastantes fantasiosos como os seus pássaros mecânicos. Estes foram utilizados pela corte para entretenimento, assim como os dragões alados e outras criaturas voadoras imaginárias criadas por ele para o divertimento das plateias do teatro.

Notas (o voo dos pássaros) por Leonardo da Vinci

  • Existem pássaros que movem as asas mais depressa quando as abaixam do que quando as levantam, como no caso das pombas e outras aves do tipo. Há outros que abaixam mais lentamente do que levantam, e isso pode ser observado nos corvos e em outras aves similares.
  • Quando um pássaro com asas de grande envergadura e cauda pequena quer decolar, ele ergue as asas com força e as vira para receber vento por baixo delas.
  • Pássaros de cauda curta possuem asas muito compridas que desempenham o papel de cauda; e eles fazem um uso considerável dos lemes, localizados nos ombros, ao mudarem de direção.
  • Quando estão descendo em direção ao chão e a cabeça está mais baixa que a cauda, arriam a cauda, que se abre, e fazem movimentos curtos com as asas; portanto, a cabeça é erguida acima da cauda e a velocidade é reduzida para que o pássaro possa pousar sem colidir com o chão.

 

Acabei por escrever muito sobre o trabalho dele  voltado ao mundo natural. Deve ser pela minha obsessão por aves.

É inquestionável que o legado de Leonardo da Vinci se tornou tão importante. Não apenas por todas as coisas que ele criou, como a técnica do sfumato. Mas também por seu jeito de ser, por ter tido um modo diferente de ver o mundo para a época renascentista. Tudo o que ele aprendeu foi devido a sua curiosidade, deleite por conhecimento, capacidade de se maravilhar, observação, não temer o desconhecido, respeitar os fatos, pensar visualmente, alimentar a sua fantasia, fazer anotações e listas.

Obrigada pela visita ♡