Saudações faéricas!

Quando eu caminho por lugares que há algo que desperta a minha curiosidade ou meu encantamento, gosto de nomeá-los com nomes bonitos. Uma flor, um tronco de forma diferente, folhas secas acumuladas ou um pássaro que resolveu pousar etc, tudo isto me faz associar o lugar com o nome que inventei e não com o nome real. Gosto de dizer que moro na Rua dos Passarinhos Azuis, pois da minha janela, posso ver vários sanhaços cinzentos pelas árvores que há por aqui por perto. Desta vez eu caminhei pelo Caminho das Flores Azuis! É um pequeno lugar que há maravilhas para contemplarmos, onde há vários pontos de coloração azulada que chama a atenção de quem se aventura por esta estradinha.

A flor azul trata-se de uma planta silvestre conhecida como erva-de-santa-luzia. Esta flor selvagem fornece pólen e néctar a abelhas nativas, como a abelha jataí. Uma das características morfológicas desta planta é possuir o caule ereto; folhas pecioladas; inflorescência com três ou quatro flores; duas pétalas dorsais (coloração azulada) e duas pétalas ventrais unidas até a terça parte. Gosta de viver em lugares sombreados, muito comum encontrá-las sob a sombra de árvores e são resistentes a seca.

Fiquei tão encantada com o pequeno campo que eles deixaram floridos que não pude deixar de registrar e de criar um singelo poema em minha imaginação.

Nesta manhã caminhei atraída pelo cintilar no céu

Os passos lentos, o anseio em meu âmago

No instante que o encanto saltou aos meus olhos,

Despertei para junto de um sonho azul

O cintilar no céu eram pássaros de luz branca, e eles cantavam:

Siga pelo caminho das flores azuis.

Os passos acelerados, a euforia em meu âmago

Surgiu a beleza escondida de dentro para fora

Vejam só, era um lindo campo celestial

Por trás há singularidade de um mundo pequenino

O que haverá além de portas

Um lugar para repousar como um pássaro repousa em um galho

 

Obrigada pela visita ♡