Saudações faéricas!

Desde que plantei sementes de cosmos, girassol e mudas de lavanda no pequeno jardim de minha janela, alguns gafanhotos fizeram deste ambiente um lar. Senti-me agraciada por receber tão adoráveis companhias, apesar deles serem bastante comilões!

A primeira vez que os notei, eles eram tão miúdos e verdinhos. Mas com o passar do tempo apenas dois ficaram e foram crescendo, crescendo…

Um deles passei a chamá-lo de Faruel. Um dia eu o via comer folhas de girassol, no outro, folhas de lavanda… E quando estas plantas floriram, ele comeu também! haha.

Essa comilança toda não poderia dar em outra coisa… Ecdise! Alguns artrópodes passam por um processo de crescimento, chamado de ecdise ou muda. Isso ocorre devido à estrutura do tegumento dos insetos. A presença da quitina é responsável em dar rigidez ao corpo do inseto e sustentação. Se o animal recebe estímulos do ambiente como a disponibilidade de alimento (Faruel tinha de sobra), temperatura adequada e um hormônio protoracico-trópico, faz com que a mágica da ecdise aconteça! Então este é um processo de crescimento que alguns organismos passam. Quando atingem a fase adulta, não é mais necessário passar por uma muda.

O Gafanhoto Faruel se tornou um belo adulto castanho! Não fotografei como ele ficou após esta aventura… No dia seguinte não notei mais a sua presença, talvez ele tenha ido a procura de algum parceiro ou parceira para se acasalar e continuar esse ciclo da vida.

As pequenas alegrias que só a natureza consegue causar são uma das coisas que mais valorizo e que me fazem sentir sortuda por estar viva. Este foi o pequeno tesouro que encheu o meu coração de ternura. Como sinto-me maravilhada por ter presenciado este processo com meus próprios olhos! Muito obrigada, Faruel, por ter causado tantos sentimentos bonitos dentro de mim. Os meus momentos com a natureza são sempre tão significativos e inspiradores.

Obrigada pela visita ♡