Saudações faéricas!


O Condado Folhas Secas é uma região não muito distante da Rua dos Passarinhos Azuis. Lá existe árvores frutíferas que presenteiam os pássaros com mangas açucaradas extremamente saborosas. Um lugar um tanto esquecido e que abriga criaturas minúsculas moradores da terra, troncos de árvores, ninhos abandonados e até mesmo tocas de animais selvagens como os gambás.

A Gata Melancia é uma grande guerreira felina que se aliou aos debravadores da natureza e sua grande missão é proteger o povo pequeno (eventualmente surgem perigos a este povo indefeso, pois Melancia é muito dorminhoca). Houve uma solene cerimônia no Condado Folhas Secas para a ingressão de Melancia ao Clube dos Debravadores. Jurou, solenemente, ser fiel a seus companheiros sob a sombra das árvores e ao som do canto dos pássaros ali presentes.

Foi uma linda cerimônia. Gostaria de apreciar ainda mais cada pedacinho daquele momento e lugar. Deitei-me na terra coberta por folhas secas e Melancia acompanhou-me. O solo estava com um aroma refrescante de terra úmida, e o aroma lembrava-me um pouco o de hortelã, bem discreto.

Sinto um imenso prazer ao estar em companhia das árvores, da natureza… Árvores parecem sábias cheias de histórias fabulosas para contar, são o abrigo de tanta vida! Como é belo a luz invadindo pelas lacunas que folhas e pequenos troncos retorcidos proporcionam. A luz chega ao chão transformando tudo em um ballet lento e silencioso, como se Chopin tocasse apenas aos seres atentos e observadores, capazes de sentir uma miríade de plenitude e paz, pois estão instensamente conectados com a vossa natureza nesse cosmos de células dando vida às estrelas de outrora.

“(…) Faz de mim a tua lira, mesmo que seja como a floresta. Que importa, se as minhas folhas caírem como as dela? O tumulto das tuas poderosas harmonias. Receberá de ambos um profundo timbre outonal, embora doce e triste. Sê, Espírito selvagem, a minha Alma! Sê tu eu próprio, ó impetuoso! (…)” – P. B. Shelley.

 

Obrigada pela visita! ♡