Um Conto Sobre A Primavera

29 de setembro de 2017

Todas as manhãs a pequenina Nina saia do oco de um pinheiro e lavava o rosto com as gotas de orvalho da chuva do dia anterior. A primavera se aproximava e ela se sentia muito entusiasmada.
Enquanto isso lá no alto do céu uma águia ecoava seu som característico por todo o vale e em seu dorso havia um gnomo barbudo e pançudo.
Quando Nina se preparava para colher néctar das flores silvestres, a águia pousou em um dos galhos do pinheiro, o gnomo que estava em seu dorso deslizou pelos cascos em uma pinha e correu em direção a ela gritando:
– Uma carta para a senhorita!
Nina virou-se espantada e se perguntando quem teria enviado uma carta para ela
– Ah, obrgada, sr. Carteiro
Ela passou os olhos pelo envelope bem bonito, endereçado a Rua dos Pinheiros Coloridos, srta. Nina Cabeça de Vento. Pensou consigo mesma “Cabeça de Vento???” Quem ousa chamar-me deste modo!
Voltou para seu oco e nem se despediu do sr. Carteiro Gnomo Pançudo

Já dentro de seu adorável pinheiro, começou a ler a tal carta que possuía os seguintes dizeres:

Estimada, srta. Nina Cabeça de Vento

Gostaríamos de lhe avisar que o Bosque dos Pinheiros Coloridos deixará de existir assim que a primavera surgir. Peço-lhe que arrume teus pertences e consiga outro local para viver.

Cordialmente, Centro de Mineração Gnomos do Vale.

Após ler esta carta, não conseguiu mover nem mesmo algum de seus minúsculos dedos. Ainda incrédula, desatou ao desespero. Todo aquele bosque seria devastado porque gnomos gananciosos estavam a procura de minerais preciosos.

Do outro lado do vale, os gnomos se reuniam para explorarem táticas de quais lugares do Bosque dos Pinheiros Coloridos seria ideal para procurar minerais. Os gnomos eram tão inteligentes, sabiam tudo sobre os tesouros que a terra guardava! Eles estavam cegos de ganância e só queriam encontrar ouro.

No final do dia, Nina estava um pouco mais calma, pois o vento de sua cabeça lhe deu inspiração!

Faltavam alguns dias para a primavera, mas Nina estava confiante de que iria dar certo o seu belo plano! Então foi colher néctar das flores amarelas que ficavam no alto de uma subida e onde o brilho do Sol tocava e reluzia ainda mais aquela paisagem.

Naquele momento, bem de baixo da terra, várias sementes de girassóis estavam germinando no Bosque dos Pinheiros Coloridos. E a cada manhã ensolarada que passava, todas as sementes se transformavam em belos girassóis gigantes, tudo para Nina era gigante. Até mesmo em seu oco surgiu um girassol! Todos os habitantes do Bosque estavam eufóricos e a pequena Nina também estava!

 

O caro leitor deve estar se perguntando o que houve, afinal. Poucos sabem, mas este segredo eu posso lhes dizer. Quando o vento passou pela cabeça da nossa pequenina Nina, ele trazia o cheiro da primavera. Foi quando nossa heroína teve a ideia de guardar sementes de girassóis, suas flores favoritas, em cada pedacinho de terra que havia os tais minerais tão cobiçados pelos gnomos. Claro que ela obteve uma ajudinha de amigos camundongos, que assim como os gnomos, conheciam muito bem o mundo subterrâneo! E desta forma, aqueles pançudos gananciosos não conseguiram chegar onde queriam de tanto girassol que havia no Bosque dos Pinheiros Coloridos! Agora milhares de abelhas apareciam e dividiam seu mel com Nina e tomavam chá de néctar juntos.

E quando todos estavam reunidos em seu oco no meio de um pinheiro, Nina pensou consigo mesma que nem todo mineral desse mundo é capaz de recompensar um belo momento com amigos e o quentinho de um chá.

 

 

Obrigada pela visita! ♡

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

  1. Eu nem consigo descrever o tanto que fiquei feliz por virar uma personagem de uma história escrita por você! Sinto vontade de ler todos os dias e entrar em cada palavra.

    Mia, você vive em meu coração.

    Por Nina Cabeça de Vento — 4 de outubro de 2017 @ 19:42