Saudações faéricas!

Existe um livro que eu me identifico quase que completamente, este livro se chama Walden, Ou A Vida nos Bosques, de Henry David Thoreau. É uma autobiografia do autor durante os anos que ele viveu ao lado do lago Walden, em Concord – Massachusetts.

O sr. Thoreau decidiu abandonar a cidade grande para viver em um bosque. Ele construiu sua casinha com madeiras do próprio local, plantou feijões e outras plantinhas para consumo, e viveu por lá durante várias estações. O autor no primeiro capítulo nos conta seus motivos de ter preferido viver de forma não “civilizada” perante a sociedade do século XIX. Naquela época as pessoas que viam a vida de forma diferente eram duramente criticadas e perseguidas. Thoreau foi bastante criticado, principalmente após publicar este livro. Porém ele foi uma pessoa autêntica e viveu da forma como quis sem se importar com os olhares tortos da sociedade.

Ele não faz apenas críticas a sociedade daquela época. Ele também escreve sobre a simplicidade, a natureza, alimentação e outros assuntos. Meus assuntos preferidos é quando ele descreve a fauna e a flora local… Os bichinhos que ele observava e até um passarinho que pousou em seu ombro!

E por que eu me identifico tanto com este livro? Porque assim como o autor, sinto imensa necessidade de estar com a natureza. Mas por enquanto eu ainda não reuni força de vontade suficiente para deixar a urbanização. Apesar dessa minha conformidade, eu procuro sempre visitar matas e jardins, explorar qualquer pedacinho de terra que tenha árvores, flores, insetos, pássaros… Identifico-me também com a forma de ver a simplicidade e de como eu me detesto quando percebo as minhas futilidades, mas estou sempre buscando valorizar o que é essencial.

 

Logo me descobri vizinho dos pássaros; não por prender algum deles, mas por ter me engaiolado perto deles.”

 

Obrigada pela visita ♡