Saudações faéricas!

Nas minhas horas vagas eu sou uma espiã, sabiam? Bem, eu sempre gostei de observar as pessoas, principalmente crianças e idosos. Porém eu nunca fotografava as coisas que me chamavam a atenção. Algumas de minhas espionagens marcaram-me, como a vez que caminhava pela praia e avistei um moço pescando com seu cachorro, ou quando vi um moço distribuindo ração aos bichinhos da rua, ou uma moça que estava conversando com um morador de rua, ou um pai que caminhava com sua filhinha pelo parque e começou a apontar a natureza para ela… Bem, presenciar cenas como estas deixam meu coração quentinho. Eu resolvi fotografar o que vejo através de minha janela. Desta vez irei registrar o que o bicho homem anda a fazer hihi.

DSCN7863-01

Esta é uma criança que vive quase em frente a onde eu moro. Achei tão bonito avistar uma criança sendo criança. Ela lembrou-me de uma frase do Pequeno Príncipe que diz que os adultos esquecem que um dia já foram crianças. Espero que vocês nunca se esqueçam e guardem o melhor da infância dentro de cada um de vocês! Confesso que fiquei morrendo de vontade de me balançar… Já tem um tempinho que não aprecio este pequeno prazer. Bom, quem sabe venho publicar mais espionagens que irei fazer ao longo da vida hihi.

Eu me acho uma pessoa muito contraditória, pois ao mesmo tempo que fujo de pessoas eu fico as espionando e inventando histórias para cada uma delas. Até mesmo fico imaginando sendo amiga delas… Eu me imaginei brincando com o menininho desta fotografia, ele me pareceu muito divertido. Penso que sou como uma fada, uma criatura que vive em um Reino distante, mas que de vez em quando surge escondida por entre folhas e gravetos para espionar humanos que demonstram alegria, ternura, amor… Sinto necessidade de solidão e ao mesmo tempo quero ver todas as pessoas bondosas felizes. Bem, se eu ficar trancada em meu mundo, não haverá como eu contribuir para isto, não é? Por isso escrevo enquanto o silêncio sempre me envolve